Setor agrícola do RN cresce 7% em 2019

0
183

Novos dados divulgados pela pesquisa de Produção Agrícola Municipal (PAM), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram um crescimento de 7% da produção agrícola do RN em 2019. O valor da produção agrícola potiguar alcançando R$ 1.701.125.000, em 2019. No ano de 2018, foi de R$ 1.586.998.000.

A PAM é a principal fonte de estatísticas sobre área plantada, área destinada à colheita, área colhida, quantidade produzida, rendimento médio obtido e valor da produção das culturas temporárias e permanentes, com informações relevantes para os planejamentos público e privado desse segmento econômico, bem como para a comunidade acadêmica e o público em geral.

No RN a área plantada ou destinada à colheita também cresceu, de 311.030 para 323.868 hectares, aumento de 4%. Os cinco produtos com maior contribuição para o valor da produção no ano 2019 foram cana-de-açúcar (25%), melão (20%), melancia (13%), banana (9%) e abacaxi (7%). A soma do valor desses produtos representa 74% do total do valor da produção agrícola do Estado.

O valor da produção agrícola do Rio Grande do Norte representou 0,5% da produção nacional. O Brasil teve crescimento de 5% no valor da produção em 2019, R$ 361 bilhões. As unidades da federação com maior participação no valor da produção nacional são Mato Grosso (16,2%), São Paulo (15,4%) e Rio Grande do Sul (11,3%).

Melão permanece no topo do ranking

O Rio Grande do Norte permanece como o maior produtor de melão no Brasil, com 356,7 mil toneladas. Essa quantidade gerou um valor de produção de R$ 340,3 milhões, o maior entre as unidades da federação. Em 2019, houve um crescimento de 5,3% em relação a produção de 2018. Desde 1994, o estado potiguar é o maior produtor nacional da fruta.

Produção de grãos do RN em alta

Dados do IBGE apontam também para um bom crescimento na produção de grãos. As projeções mostram que, em 2020, o RN deve colher 56,4 mil toneladas de grãos, a melhor safra dos últimos nove anos, com crescimento de 10,6% em relação a 2019. Destaque para o cultivo do milho com 34,6 mil toneladas, e crescimento de 14,2% sobre o ano passado.

Um resultado muito comemorado pelo Governo do RN, que por intermédio da Secretaria Estadual da Agricultura, da Pecuária e da Pesca – Sape, e apoio do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural – Emater/RN, mantém ativo o Programa Bancos de Sementes. Neste ano, foram distribuídos 601.850 kg de sementes de milho, feijão e sorgo forrageiro, entre seus 1.606 bancos de sementes espalhados por 156 municípios do RN. Somando 52.803 trabalhadores rurais familiares beneficiados. Um investimento global de R$ 7.360.869,40, provenientes do Tesouro Estadual.

As sementes são destinadas principalmente ao plantio de subsistência e forragem animal. As variedades distribuídas são adaptadas às condições do semiárido do Rio Grande do Norte, permitindo precocidade e produção com baixo índice pluviométrico, resultado de um longo trabalho de pesquisas realizadas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, em parceria com a Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN – Emparn.

Foto: Assecom/SAPE.

Deixe uma resposta