Detonautas estreia vídeo de música sobre “kit gay”, com vocalista pelado

0
160

Por Poder 360 — A banda Detonautas Roque Clube vai lançar nesta 6ª feira (6.nov.2020) 1 vídeo com nova música trazendo críticas aos posicionamentos do presidente Jair Bolsonaro. A canção intitulada “Kit Gay”, cuja letra ainda não foi divulgada, vai tratar sobre 1 assunto que foi alvo de distribuição de notícias falsas, durante as eleições de 2018 no Brasil.

Nas redes sociais, o vocalista da banda, Tico Santa Cruz, divulgou algumas imagens de bastidores das gravações do vídeo. Nelas, ele aparece nu, cobrindo as partes íntimas apenas com uma meia, repetindo cenas vistas nos anos 1990, pelo grupo Red Hot Chilli Peppers, que se apresentou algumas vezes dessa forma.

https://www.instagram.com/p/CHNqRWIBoje/?utm_source=ig_embed

“MICHEQUE”

Este é o 2º vídeo produzido pelo Detonautas, com críticas ao governo Bolsonaro, a ser divulgado em menos de 1 mês. No fim de setembro, a banda divulgou no YouTube e em outras plataformas a música “Micheque”. Nela, o vocalista questionava a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, sobre a notícia de que ela recebeu cheques do ex-assessor de Flávio Bolsonaro, filho do presidente e enteado dela:

“Hey Michele, conta aqui pra nós
A grana que entrou na sua conta é do Queiroz?
Hey, Capitão, como isso aconteceu?
Levante as mãos pro alto e agradeça muito a Deus”

A música revoltou a primeira-dama, que decidiu prestar queixa na polícia, afirmando que foi vítima de calúnia e difamação por parte dos integrantes da banda.

KIT GAY

Em 2018, o então candidato Bolsonaro, em entrevista ao Jornal Nacional, apresentou o livro “Aparelho Sexual e Cia.”, que faria parte de um kit, distribuído em escolas públicas, com o objetivo de levar a chamada ideologia de gênero a crianças. Ele questionava o modelo de educação adotado no Brasil.

“Tomei conhecimento [em 2010] do que estava acontecendo lá [num corredor da Câmara dos Deputados]. Eles tinham acabado o nono Seminário LGBT Infantil. Estavam discutindo ali, comemorando o lançamento de um material para combater a homofobia, que passou a ser conhecido como kit gay. Entre esse material estava esse livro lá”, afirmou.

À época, o Ministério da Educação precisou divulgar uma nota, para desmentir o candidato, já que o livro exibido por Bolsonaro nunca foi distribuído em salas de aula ou em escolas com aval ou financiamento da pasta. A editora Companhia das Letras, responsável pela publicação no Brasil, também defendeu o material.

Foto: Reprodução/Instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui