Medicado por doença mental, Adélio diz ter “desistido” de matar Bolsonaro

0
238

Por Terra — Um funcionário da Penitenciária Federal de Campo Grande afirmou ao Uol que Adélio Bispo de Oliveira, homem que esfaqueou o então candidato à presidência Jair Bolsonaro, “está calmo, diminuiu com as alucinações e apresenta uma mudança positiva de comportamento” após receber tratamento psiquiátrico.

Ainda conforme o funcionário do presídio onde Adélio está preso, no começo, o detento “só falava em maçonaria”. Agora, Adélio passa o dia lendo livros

Em seu último depoimento ao delegado da Polícia Federal Rodrigo Morais, no dia 31 de outubro do ano passado, quando já estava recebendo tratamento, Adélio revelou que teria desistido de seu “plano” de matar Bolsonaro e o ex-presidente Michel Temer (PMDB) “quando saísse da prisão”.

No depoimento, obtido pelo Uol, Adélio disse ainda que não tem nada que possa fazer para combater a maçonaria, “organização estruturada política e economicamente, razão pelo qual desistiu de atacá-la”.

Foto: Reprodução.

Deixe uma resposta